Transtornos neurológicos funcionais: um guia para pacientes

incluindo crises não-epilepticas  doenças do movimento funcionais e outros sintomas funcionais

Hemi

neurosymptoms.org

Tremor funcional/ distonia/ perturbações da marcha e outros transtornos funcionais do movimento

O que são transtornos funcionais do movimento?

Um transtorno funcional do movimento significa que há um movimento ou posicionamento de uma parte do corpo anormal pelo fato de o sistema nervoso não estar funcionando adequadamente (e não por causa de um transtorno neurológico estrutural).

 

Você poderá ler sobre cada um desses sintomas com mais detalhes na página (Tremor Funcional, Distonia/Espasmos funcionais, Abalos/mioclonias funcionais, perturbação da marcha funcional). Alguns pacientes só têm um tipo de transtorno, outros apresentam vários.

 

Pacientes com um transtorno funcional do movimento podem vivenciar uma multiplicidade de sintomas disruptivos e incapacitantes:

 

Tremor: Quando um braço ou uma perna se move de forma descontrolada. No tremor funcional isso é frequentemente muito variável. Pode até desaparecer quando o paciente está distraído, mas em outras ocasiões pode ser bastante perturbador para ele.

 

Abalos/espasmos: Alguns pacientes desenvolvem movimentos involuntários amplos, que podem ser particularmente causados por sons muito altos, luzes/flashes ou períodos de dor.

 

Espasmos/contraturas: Algumas pessoas se deparam com posturas anormais das mãos ou dos pés que são difíceis de controlar. Esse pode ser um problema temporário intermitente (um espasmo) ou ser mais crônico (geralmente também chamado de distonia fixa funcional /contratura). Pacientes com distonia funcional frequentemente têm uma “mão fechada” ou um “pé invertido”.

 

Perturbações da marcha: Uma variedade de padrões de marcha pode ocorrer no âmbito dos transtornos funcionais. O mais comum é a marcha em que o doente “arrasta” o membro inferior pelo solo l. A marcha instável também está associada a pacientes com histórico de quedas, que acabam desenvolvendo receio de cair.

 

Ao contrário de outros transtornos do movimento (como a doença de Parkinson), essas alterações não são causadas por um dano ou doença do sistema nervoso, mas, sim, por algum problema reversível no seu funcionamento.

 

Isso significa que pessoas que sofrem com transtornos funcionais podem melhorar os seus sintomas e até mesmo ficar assintomáticas.

 

Como o diagnóstico é feito?

O diagnóstico é feito por um neurologista. Pode ser um diagnóstico particularmente difícil porque requer experiência e conhecimento sobre todos os transtornos do movimento secundários e transtornos neurológicos, sendo que muitos deles são raros e mesmo, por vezes, bizarros.

 

Assim fica difícil fazer um resumo de todas as características clínicas dos transtornos funcionais do movimento. Frequentemente, eles surgem depois de um pequeno traumatismo, e o seu aparecimento pode ser súbito. Veja a seguir alguns exemplos.

 

Tremor: Tipicamente um tremor funcional é caracterizado por:

1. Tremor que desaparece transitoriamente ou cujo ritmo se altera quando copia movimentos com a perna ou o braço que está “bom”. A esse fenômeno chamamos “entrainment”.

 

2. Dificuldade em executar movimentos rítmicos com a mão (ou perna) sem déficit.

 

3. Há momentos em que o tremor não se manifesta.

 

4. O tremor possui frequência variável.

 

5. Ele pode agravar quando alguém tenta segurar o braço ou a perna, imobilizando esse membro.

 

Abalos: Também chamados de mioclonias. As mioclonias funcionais são caracterizadas por:

1. Mioclonias em antecipação ou resposta a sons de elevada intensidade (embora possam existir outras causas).

 

2. Presença de uma onda cerebral chamada potencial de Bereitschaft, que antecede o movimento e não está presente nas mioclonias provocadas por algum transtorno neurológico (essa onda é detectada por eletroencefalograma).

 

Abalos benignos: Por vezes também são designados por “fasciculações benignas”. Muitas pessoas, de tempos a tempos, têm pequenas contrações musculares, sobretudo ao redor dos olhos ou dedos. São tão comuns que são consideradas normais. No entanto em algumas pessoas podem se tornar mais frequentes e estar presentes em várias regiões do corpo, durante grande parte do dia. Isso pode levar a situações de ansiedade em torno da causa desses sintomas, o que por si só irá agravar as contrações. Geralmente, esses movimentos benignos são mais comuns em estudantes de medicina e médicos, que ao desenvolverem esses sintomas ficam preocupados com a possibilidade de terem esclerose lateral amiotrófica (ELA), uma doença de neurônio motor. De fato, nesses casos, os movimentos afetam toda a fibra muscular, enquanto as fasciculações da ELA são movimentos mais isolados. Assim, essa condição pode apenas ser designada, de forma alguma erroneamente, por fasciculações benignas.

 

Espasmos: Espasmos funcionais são comuns nas mãos e nos punhos. Nas mãos pode tratar-se do chamado “espasmo carpopedal”. Isso ocorre em outros transtornos, como na hipocalcemia, uma condição que deve ser investigada antes de se considerar o diagnóstico de “funcional”. Esse tipo de espasmo também é frequente em situações de hiperventilação (click aqui para descobrir mais).

 

Postura fixa (distonia funcional): Descreve uma posição, geralmente da mão ou dos pés, em que estes permanecem fixos de forma permanente ou durante grande parte do tempo. Essas posturas são associadas a algum grau de déficit motor funcional do membro e/ou dor. Há uma sobreposição com a chamada  Síndrome de Dor complexa regional tipo 1. Os dois tipos mais comuns são:

 

1. na mão (a aparência pode ser semelhante ao espasmo carpopedal ou por vezes com a mão “fechada”)

 

2. no pé, situação em que frequentemente o tornozelo se inclina para dentro

 

Marcha funcional: Existem vários tipos de marcha funcional, ou seja, dificuldade no andar que não é devida a uma transtorno neurológico. Há vários tipos descritos:

 

1. Lentidão excessiva: uma marcha muito lenta em que o pé tem tendência a ficar “agarrado” ao chão.

 

2. “Walking on ice” (em português “caminhar no gelo”): uma marcha muito cautelosa em que os pés ficam afastados e as pernas, muito rígidas. 

 

3. Agachado: uma forma de caminhar em que a pessoa parece estar agachada. Geralmente é associada ao medo de cair.

 

4. “Sudden knee buckling”(agachamento súbito): tipicamente é associado à fraqueza motora funcional das pernas. Por vezes, o problema está relacionado com  ataques súbitos, embora seja importante reconhecer que há outras causas, como, por exemplo, problemas nos joelhos.

 

5. Instável: uma marcha geralmente instável com passos laterais súbitos.

 

Como os transtornos funcionais surgem?

 

Doenças do movimento funcional surgem por diversas razões em pessoas diferentes. Os fatores precipitantes aparentes são semelhantes aos descritos na fraqueza funcional especialmente após um traumatismo/com dor. Uma grande parte de pacientes com distonia funcional (e num menor grau o tremor funcional) tem uma lesão física/ traumatismo ou um membro dolorido. Há uma sobreposição com uma condição chamada de Síndrome de Dor Complexa Regional tipo 1. Os transtornos do movimento nessa condição (especialmente as distonias) não são possíveis de serem distinguidos dos demais transtornos funcionais do movimento. Os abalos funcionais e tremores podem ocorrer em pacientes com síndromes de dor crônica, tais como dor lombar ou cervical.

Pacientes com distonia fixa geralmente têm uma mão fechada (abaixo) ou o tornozelo virado para dentro (imagem acima)

 

 

Clique para ver o vídeo

Foot bent - small Clenched fist - smal Carpopedal spasm - crop tremor

Tremor funcional é o transtorno funcional do movimento mais comum