Transtornos neurológicos funcionais: um guia para pacientes

incluindo crises não-epilepticas  doenças do movimento funcionais e outros sintomas funcionais

Hemi

neurosymptoms.org

Sintomas funcionais de memória e concentração

 

Sintomas funcionais de memória e concentração (também chamados de sintomas cognitivos funcionais) frequentemente coexistem com outros sintomas funcionais e dissociativos.

 

Frequentemente, coexistem com transtornos do sono, fadiga, ansiedade ou depressão. No entanto é importante afirmar que é possível ter esses sintomas de memória e concentração sem que haja ansiedade ou depressão.

 

Os sintomas cognitivos funcionais são cada vez mais comuns – possivelmente porque são mais diagnosticados e também porque a população está mais informada e mais alerta para a problemática das demências.

 

Estudos no Reino Unido mostraram que mais da metade dos pacientes que procuram os médicos por queixas de memória não têm demência, e muitos possuem uma perturbação cognitiva funcional.

 

Em seguida, apresentam-se queixas comuns de memória relatadas pelos pacientes. Muitas correspondem a experiências cotidianas que são vividas com mais frequência do que o habitual.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como todos os sintomas funcionais, decidir se esses fazem ou não parte de um transtorno neurológico é um processo que deve ser feito cuidadosamente.

 

Mas muitas vezes esses tipos de sintomas não indicam um problema de memória. Eles podem ser explicados principalmente como consequência de pouca concentração ou distração. Se você não estiver focado no início de uma tarefa, talvez por cansaço ou distração, não irá se lembrar do que fez ou do que lhe foi dito.

 

Então, enquanto você costumava ir a outro cômodo da casa, por exemplo, e se lembrar da razão para isso, agora não o consegue fazer porque a sua dor, fadiga ou fraqueza nas pernas estão interferindo na sua concentração.

 

Curiosamente, as pessoas que mais frequentemente notam esse tipo de sintoma muitas vezes são aquelas que têm uma capacidade acima da média de se lembrar das coisas em primeiro lugar. Por outro lado, pessoas que sempre foram um pouco distraídas tendem a notar menos quando esses sintomas surgem.

 

Às vezes, esses sintomas se tornam um foco de preocupação com a saúde, especialmente se houver histórico familiar de demência ou se a pessoa estiver familiarizada com a demência. Pensar ou se preocupar com sintomas de memória tende a piorá-los. A maioria das funções cerebrais, como o movimento, o sono e o pensamento, funciona melhor de forma automática.

 

As queixas de concentração são muito comuns na ansiedade e depressão, por isso é fácil compreender que um ciclo vicioso de sintomas possa se desenvolver nessas situações.

 

É importante descobrir a frequência desses sintomas de memória e quão comuns eles são na população. Na tabela abaixo, a frequência desses sintomas em pessoas saudáveis entre os 20 e 30 anos.

 

 

 

        Sintomas cognitivos                                           Frequência

       

                              Controle comunitário: n = 223, idade média = 30

       

        Esquece telefonemas recentes                                       9%

 

        Esquece por que entrou no quarto                                 27%

 

        Esquece o que tomou de café da manhã ontem              27%

 

        Esquece onde parou o carro                                         32%

 

        Perde a chave do carro                                                31%

 

        Esquece onde foi hoje                                                   5%

 

        Esquece a data de compromissos                                  20%

 

        Perde coisas pela casa                                                 17%

 

        “Difícil concentração”                                                   14%

 

                             Estudantes universitários: n = 620, idade média = 17-26

 

        Lacunas de memória                                                   10%

 

        Problemas de fala                                                       17%

 

        Lapsos na busca por palavras                                       27%

 

        Não se lembrar de comportamentos                              9%

 

 

 

Quando os médicos avaliam os problemas de memória na consulta, procuram pistas que os possam auxiliar a diferenciar se os sintomas de memória são de etiologia funcional ou não. Podem também realizar exames neuropsicológicos. Alguns pacientes com transtorno cognitivo funcional têm pior desempenho nos testes do que na vida real, e, portanto, os resultados podem criar uma falsa impressão.

 

Nenhuma das características abaixo, isoladamente, fecha o diagnóstico, e o mesmo deve ser feito por um especialista. Em alguns pacientes pode não ser conclusivo na primeira consulta e apenas o seguimento auxiliará na definição do diagnóstico.

 

Uma seleção de características clínicas que podem ajudar na discriminação de causas funcionais e neurológicas de transtornos cognitivos 

 

          Funcional (não orgânico)                                        Transtornos neurológicos

 

                Jovens                                                                        Mais velhos

 

        Comparece sozinho                                                       Comparece com alguém

 

 Paciente com mais consciência do problema                       Os outros mais conscientes do

                    que os outros                                              problema que o próprio paciente

 

 

  É capaz de fazer uma lista detalhada de                                     Menos capaz

      medicações/ prévias internações

 

            Assiste a dramas de TV                                              Para de ver dramas

 

            Variedade nas compras                                                 Menos variedade

 

Tipos de sintomas de memória geralmente pessoas             Tipos de sintomas de memória

estão dentro da experiência normal da maioria das              com frequência estão fora das  

                                                                                             experiências normais

 

 “Eu costumava ter uma memória brilhante”                    Nunca teve uma “memória brilhante”

 

 

        Estamos falando do mesmo que transtorno cognitivo leve (TGL)?

 

Não. TGL é uma designação comumente dada a pacientes que apresentam sintomas cognitivos, mas que não apresentam demência, isto é, não interferem na sua capacidade funcional. Alguns desses pacientes podem, de fato, ter sintomas cognitivos funcionais, mas outros irão evoluir para demência.

 

A perturbação cognitiva funcional é um problema muito mais específico e identificável, com características clínicas típicas.

 

Tratamento dos sintomas cognitivos funcionais

 

Abaixo, algumas condutas que podem ajudar aqueles que sofrem de sintomas cognitivos funcionais:

 

1. O diagnóstico é feito pelos sintomas presentes. Como todos os transtornos neurológicos funcionais, não deve ser um diagnóstico de exclusão.

2. Identifique se há uma causa óbvia, como privação de sono, medicação excessiva ou ansiedade, que possa ser objeto de tratamento.

3. Pessoas que costumavam ter uma memória brilhante podem precisar de tempo para reconhecer que os sintomas de memória que desenvolveram, embora diferentes para eles, são normais para a população. Informação e discussão podem auxiliar.

4. Treinar para aceitar erros de memória quando eles ocorrem e não se concentrar neles por muito tempo (isto é, autocrítica reduzida).

 

 

Há uma página útil de dicas sobre como gerir os sintomas de memória e concentração neste site. Ele foi escrito para pessoas com traumatismos leves da cabeça, mas as dicas são semelhantes no que diz respeito à aprendizagem e controle sobre a sua memória.

 

Longos períodos de amnésia/ amnésia dissociativa

 

Por vezes, pacientes com sintomas neurológicos funcionais relatam períodos bastante dramáticos de amnésia, por exemplo, durante uma tarde inteira ou uma viagem de carro. Isto é mais frequente em pessoas com convulsões dissociativas que frequentemente têm amnésia imediatamente antes da crise.

 

Quando um período de tempo como esse é perdido, amnésia dissociativa é a explicação mais provável. Clique em sintomas dissociativos para descobrir mais sobre o significado geral de dissociação.

 

Na amnésia dissociativa, a pessoa não consegue lembrar nada porque:

 

• durante o período em questão estava em estado de transe, ou

 

• tem dificuldade em acessar memórias normais devido a uma mudança na função do cérebro, que faz parte de um transtorno funcional ou dissociativo

“Fui ao andar de cima/quarto ao lado e não conseguia lembrar o que fui fazer lá”

 

“Estou sempre perdendo a carteira/as chaves”

 

“Perdi o fio da meada da conversa”

 

“Não conseguia me lembrar do caminho todo de carro para casa”

 

“Eu começo um livro e não consigo me lembrar do que estava lendo antes”

 

“Eu esqueço o nome dos destinos das minhas últimas férias ou o que fiz ontem”

 

“Esqueci-me completamente da reunião/de dar os parabéns a alguém”