Transtornos neurológicos funcionais: um guia para pacientes

incluindo crises não-epilepticas  doenças do movimento funcionais e outros sintomas funcionais

Hemi

neurosymptoms.org

Preocupação e pânico

 

Ansiedade e pânico são comuns em pacientes com sintomas neurológicos funcionais e dissociativos. No entanto muitos desses pacientes não estão ansiosos (ou deprimidos).

 

Ansiedade e pânico também são muito comuns na epilepsia e outros transtornos neurológicos.

 

Este site não foi projetado para abordar esses sintomas detalhadamente. Alguns links são fornecidos abaixo.

 

No entanto, em relação aos sintomas funcionais, vale a pena prestar atenção no seguinte:

 

• Se tiver ansiedade ou ataques de pânico, isso não significa que esta é a causa dos seus sintomas. Você poderá se sentir mais sensível quando os médicos ou outras pessoas lhe perguntarem como está se sentindo, mas um bom médico deve sempre perguntar isso, independentemente do seu diagnóstico. Por exemplo, pacientes com esclerose múltipla podem sofrer de ansiedade e depressão. Quando isso acontece, geralmente a sua qualidade de vida não é tão boa, então é importante fazer o que for possível para melhorar esses sintomas. Com sintomas funcionais a situação não é diferente.

 

• Admitir ansiedade ou ataques de pânico não significa que você seja “louco”/ “fora de controle”/ “sem de força de vontade” ou qualquer outra coisa que algumas pessoas (talvez até você mesmo!) possam pensar. Há muito estigma para esse tipo de problemas e nem sempre é fácil lidar com eles. Veja “Tudo na mente” para mais informações.

 

• A causa mais comum de ansiedade ou preocupação em pacientes com sintomas funcionais é a preocupação com os próprios sintomas. Qual a causa? Por que ninguém parece acreditar em mim? Estarei ficando louco? Ficarei incapacitado no futuro? Só porque a preocupação é com os sintomas não significa que não seja “preocupação”. Às vezes a ansiedade com a saúde é um problema avassalador em si mesmo.

 

Muitos pacientes não percebem o que constitui um diagnóstico de ansiedade ou ataques de pânico. Aqui estão os critérios amplamente utilizados para fazer o diagnóstico desses transtornos pela Associação Americana de Psiquiatria (DSM-IV).

 

ANSIEDADE GENERALIZADA

A. Pelo menos seis meses de “ansiedade e preocupação excessiva” em relação a eventos e/ou situações. Geralmente, “excessivo” pode ser interpretado como mais do que seria esperado para uma situação ou evento particular. A maioria das pessoas fica ansiosa com certas coisas, mas a intensidade da ansiedade normalmente corresponde à situação.

 

B. Existe uma dificuldade significativa em controlar a ansiedade e a preocupação. Se alguém tem muita dificuldade em retomar o controle, relaxar ou lidar com a ansiedade e a preocupação, então cumpre este critério.

 

C. A presença, na maioria dos dias nos últimos seis meses, de três ou mais (apenas um para crianças) dos seguintes sintomas:

1. Sentir-se ansioso, tenso ou inquieto

2. Fadiga ou desgastes fáceis

3. Problemas de concentração

4. Irritabilidade

5. Tensão significativa nos músculos

6. Perturbação do sono

 

D. Os sintomas não fazem parte de outro distúrbio mental

 

E. Os sintomas causam “sofrimento clinicamente significativo” ou problemas de funcionamento na vida diária. “Clinicamente significativo” depende da perspectiva do provedor de tratamento. Algumas pessoas podem ter muitos dos sintomas acima mencionados e lidar com eles bem o suficiente para manter um alto nível de funcionamento.

 

F. Esta condição não é causada por uma substância ou outro problema clínico.

 

ATAQUE DE PÂNICO

Um período de medo ou desconforto intenso, no qual quatro (ou mais) dos seguintes sintomas se desenvolveram abruptamente e atingiram um pico em dez minutos:

1) Palpitações e aceleração do batimento cardíaco ou da frequência cardíaca

2) Sudorese

3) Tremor

4) Sensações de falta de ar ou sufocamento

5) Sensação de asfixia

6) Dor ou desconforto no peito

7) Náusea ou desconforto abdominal

8) Sentir-se tonto, instável ou como se fosse desmaiar

9) Desrealização (sentimentos de irrealidade) ou despersonalização (estar desprendido de si mesmo)

10) Medo de perder o controle ou enlouquecer

11) Medo de morrer

12) Parestesias (dormência ou sensação de formigamento)

13) Calafrios ou ondas de calor

 

PERTURBAÇÃO DE PÂNICO

A) Ambos (1) e (2)

(1) Ataques de pânico inesperados recorrentes

(2) Pelo menos um dos ataques foi seguido por um mês (ou mais) de um (ou mais) dos seguintes:

(a) Preocupação persistente em ter ataques adicionais

(b) Receio com as implicações do ataque ou com as suas consequências (por exemplo, perder o controle, ter um ataque cardíaco, “enlouquecer”)

(c) Uma mudança significativa no comportamento relacionado com os ataques

 

B) Os ataques de pânico não são devidos aos efeitos fisiológicos diretos de uma substância (por exemplo, uma droga de abuso, um medicamento) ou uma condição médica geral (por exemplo, hipertireoidismo).

 

C) Os ataques de pânico não são mais bem explicados por outra perturbação mental

 

AGORAFOBIA

A) Ansiedade por estar em lugares ou situações em que a fuga pode ser difícil (ou embaraçosa) ou em que a ajuda pode não estar disponível no caso de ter um ataque de pânico inesperado ou predisposto por situações ou sintomas semelhantes aos de pânico. Os medos agorafóbicos tipicamente envolvem grupos característicos de situações que incluem estar fora de casa sozinho, estar numa multidão ou em pé numa fila, estar numa ponte e viajar de ônibus, trem ou automóvel.

 

B) As situações são evitadas (por exemplo, a viagem é restrita), ou então são suportadas com sofrimento acentuado ou com ansiedade em relação a ter um ataque de pânico ou sintomas semelhantes, ou, ainda, requer a presença de um acompanhante.

 

C) A ansiedade ou esquiva fóbica não se explica melhor por outro transtorno mental.

os tipicamente envolvem grupos característicos de situações que incluem estar fora de casa sozinho; estar numa multidão, ou em pé numa fila; estar numa ponte; e viajar de autocarro, comboio ou automóvel.

 

B) As situações são evitadas (por exemplo, a viagem é restrita) ou então são suportadas com sofrimento acentuado ou com ansiedade em relação a ter um ataque de pânico ou sintomas semelhantes ao pânico, ou exigir a presença de um acompanhante.

 

C) A ansiedade ou evitação fóbica não é melhor explicada por outra perturbação mental.

Veja ajuda para pânico

Sentir-se ferido, tenso ou inquieto, facilmente cansado ou desgastado, com problemas de concentração, irritabilidade, tensão significativa nos músculos e perturbações do sono são características centrais de preocupação excessiva ou ansiedade

 

Veja ajuda para ansiedade