Transtornos neurológicos funcionais: um guia para pacientes

incluindo crises não-epilepticas  doenças do movimento funcionais e outros sintomas funcionais

Hemi

neurosymptoms.org

Sintomas dissociativos: “sentindo-se fora da realidade”

 

O que são sintomas dissociativos?

Sintomas dissociativos são experienciados frequentemente em conjunto com outros sintomas funcionais descritos neste site. Pode ser muito importante identificá-los e percebê-los para compreender a natureza dos seus sintomas e aprender como recuperar o controle do seu corpo.

 

Despersonalização – um sentimento que o seu corpo não pertence exatamente a você ou que está desligado de você.

 

Desrealização – um sentimento de que você está desligado do mundo à sua volta ou “fora da realidade”.

 

Para uma descrição detalhada dos sintomas dissociativos, você pode baixar aqui um artigo aqui, que os descreve para uma revista de neurologia.

 

A seguir, algumas das formas como as pessoas descreverem a despersonalização e a desrealização:

 

Despersonalização

 

Comum: “Eu me sentia estranho/esquisito”, “eu sentia como se eu estivesse flutuando”, “eu me sentia sem corpo/desligado/desmembrado/longe de mim mesmo”, “alheio a tudo”, “num lugar só meu/sozinho”, “como se estivesse lá mas não estivesse”, “eu podia ver e ouvir tudo mas não conseguia responder”.

 

Menos comum: “Como uma marionete”, “como um robô”, “representando”, “não conseguia sentir nenhuma dor”, “como se eu fosse feito de papel”, “eu me sentia como se fosse apenas uma cabeça presa num corpo”, “como um espectador olhando para mim mesmo na TV”, “como uma experiência fora do corpo”, “sentia as minhas mãos ou pés menores/maiores”, “quando eu tocava nas coisas, não sentia como se as tivesse encostando”.

 

Desrealização

 

"O ambiente em volta não parecia real/ estava longínquo”, “como se eu estivesse fora da realidade”, “estava olhando o mundo através de um vídeo”, “sentia-me distante do ambiente ao redor”, “os objetos pareciam menores de tamanho/lisos/como num sonho/tipo desenho animado/artificiais /não sólidos”.

 

 

Por que é importante saber mais sobre sintomas dissociativos?

Esses sintomas ocorrem em todos os tipos de situações. Muitas pessoas os vivenciam em algum grau quando têm uma gripe ou privação de sono.

 

Compreender o que são sintomas dissociativos, que há um nome para eles e que eles não significam que você “está ficando louco” pode ser útil para pessoas com sintomas funcionais.

 

Medo e ansiedade podem intensificar os sintomas dissociativos, assim, se os pacientes forem instruídos para este fato, podem desenvolver estratégias para tornarem os sintomas menos intensos.

 

A experiência de se sentir de alguma forma desconectado do próprio corpo também pode explicar o porquê de se sentir desconectado ou fraco de alguma forma. Esta é a razão pela qual os sintomas dissociativos são por vezes chamados “transtorno dissociativo motor funcional”.

 

Informação adicional

Para uma descrição detalhada dos sintomas dissociativos, você pode fazer o download do artigo aqui, que descreve esses sintomas numa revista de neurologia.

 

Existe um outro artigo de 2017 do British Medical Journal escrito por uma psicóloga (Elaine Hunter), um paciente (Jane Charlton) e um professor de neuropsiquiatria cognitiva (prof. David).

 

Há ainda um podcast em que a editora da BMJ (Fiona Godlee) discute as suas próprias experiências de despersonalização e um youtube video - ambos muito recomendados.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

There is also more information about depersonalisation available from the following:

 

 

@DPAFU_UK and @dpddiaries

These Twitter account has lots of links and information about depersonalisation

 

 

Dissociation Stone - Dissociation_Page_1

Stone. Practical Neurology 2006;6:308-313; doi:10.1136/jnnp.2006.101287 by permission of BMJ publications

DP article DP article

Hunter, Charlton and David. Depersonalistion and Derealisatio: assessment and management. BMJ 2017 with associated podcast where the editor of the BMJ (Fiona Godlee) discusses her own experiences of depersonalisation and a youtube video