Transtornos neurológicos funcionais: um guia para pacientes

incluindo crises não-epilepticas  doenças do movimento funcionais e outros sintomas funcionais

Hemi

neurosymptoms.org

Sintomas sensitivos funcionais

O que são sintomas sensitivos funcionais?

 

Sintomas sensitivos funcionais descrevem sintomas em várias regiões do corpo que são causados por alguma alteração no funcionamento do sistema nervoso. Não ocorrem por dano ou doença do sistema nervoso.

 

Pacientes com sintomas sensitivos funcionais vivenciam os seguintes sintomas:

 

1. Sensação alterada de um lado do corpo (mais comumente à esquerda), em geral envolvendo a face, o braço ou a perna, em diferentes combinações. Frequentemente essas alterações são designadas por “síndrome hemissensitiva”. Alterações da sensibilidade da face isoladamente são muito comuns.

 

2. Sensação de que um membro não te pertence.

 

3. Sensações fugazes, incluindo contrações musculares, zumbidos e sensação de choques elétricos.

 

4. Por vezes sintomas visuais, incluindo falta de foco intermitente, visão dupla e fraqueza (veja Fraqueza), podem estar presentes do mesmo lado dos sintomas sensitivos.

 

Para o paciente e para o médico, esses sintomas podem funcionar como um alarme, fazendo-os pensar se é AVC ou esclerose múltipla.

 

Contudo os sintomas sensitivos funcionais não se devem a alguma lesão do sistema nervoso, o que quer dizer que podem melhorar ou mesmo desaparecer completamente. Isso acontece porque, nas pessoas que têm sintomas sensitivos funcionais, todas as partes do sistema nervoso estão intactas, apenas não estão funcionando apropriadamente e por isso o seu cérebro não recebe as mensagens do modo correto.

 

 

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico de sintomas sensitivos funcionais geralmente é feito por um neurologista.

 

Quando o médico ouve a sua história e o examina, ele pode reconhecer os sintomas como sendo típicos de sintomas sensitivos funcionais. No exame, o médico pode descobrir que a sensibilidade das áreas afetadas está menor. Pode haver um grau leve de fraqueza em associação à alteração sensitiva. O padrão de fraqueza e a resposta a testes especializados ajudarão o médico a fazer um diagnóstico positivo da sua condição.

 

Exames de imagem cerebral normais podem ajudar a fazer o diagnóstico, mas geralmente ele é feito pelo neurologista na primeira consulta.

 

Estarei inventando?

A resposta é “não”, mas clique em Será que estou inventando? para saber mais.

 

Por que os sintomas sensitivos funcionais aparecem?

Os sintomas sensitivos funcionais surgem por diversas razões em diferentes pessoas. As razões são muito semelhantes às responsáveis pela fraqueza funcional, que incluem:

 

1. Após um ferimento/ com dor: As pessoas parecem particularmente vulneráveis aos sintomas sensitivos funcionais após uma lesão/ ferimento físico ou se têm muita dor. Estudos com pacientes com dor crônica mostram que distúrbios sensitivos funcionais inesperados (que em geral ocorrem de um lado do corpo) são bastante comuns. Por vezes os sintomas sensitivos funcionais acontecem como parte de outra condição chamada Síndrome da dor regional complexa tipo 1 (clique no link para saber mais).

 

2. Com hiperventilação: Mais ainda, os sintomas sensitivos funcionais são particularmente suscetíveis de ocorrer em associação com sintomas de tonturas e sensação intermitente de falta de ar. Estudos em voluntários mostram que,quando se pede a cem pessoas para respirarem depressa por um período de tempo (hiperventilação), a maioria desenvolve sintomas sensitivos. Isso habitualmente consiste em formigamento nos dedos e em volta da boca. Acredita-se que isso se deva ao efeito da baixa concentração de dióxido de carbono nas terminações nervosas que ocorre durante a hiperventilação. Numa pequena percentagem de voluntários, contudo, a hiperventilação provoca dormência de um lado do corpo.

 

3. Um transtorno com muita fadiga ou repouso: Os sintomas sensitivos podem se desenvolver lentamente em pessoas que sofrem de muita fadiga ou exaustão. Em alguns pacientes, o excesso de repouso pode levar ao aparecimento dos sintomas. Pode haver uma sobreposição entre essa situação e a Síndrome de fadiga crônica (clique no link para saber mais).

 

4. Após um episódio de dissociação/ ataque de pânico: Sintomas sensitivos funcionais como dormência e formigamentos geralmente ocorrem com outros sintomas, como vertigens e dissociação (uma sensação de que as coisas em volta estão distantes ou desconectadas). A dissociação é um pouco como um transe e é descrita com mais detalhes neste site. Por vezes esses episódios são muito assustadores, especialmente se surgem subitamente, e podem levar a um ataque de pânico. Quando o ataque de pânico vai embora, pode deixar a sensação de que uma metade do corpo não “está bem”, talvez mais pesada ou formigando.

 

4. Enxaqueca: Algumas pessoas com enxaqueca podem ter sintomas sensitivos como parte da crise. Por vezes, os pacientes com sintomas sensitivos funcionais descrevem um episódio que parece uma crise de enxaqueca após a qual os sintomas sensitivos persistem. Nesses casos, a enxaqueca pode ter precipitado os sintomas sensitivos funcionais.

 

5. Sem causa aparente: Pode não haver um precipitante óbvio, tal como as pessoas com enxaqueca que têm dor apenas quando estão cansadas ou estressadas, enquanto que outras a têm sem nenhuma razão aparente.

 

 

 

 

Esta figura é do século XIX e mostra um doente com sintomas sensitivos ('síndrome hemisensitivo').

Figura 2

Hemi