Transtornos neurológicos funcionais: um guia para pacientes

incluindo crises não-epilepticas  doenças do movimento funcionais e outros sintomas funcionais

Hemi

neurosymptoms.org

Transtornos do sono

 

Tal como a fadiga, os transtornos do sono são muito comuns em pacientes com sintomas neurológicos funcionais.

  

Insônia – pode significar dificuldade em adormecer, manter o sono ou acordar demasiado cedo.

 

Hipersônia – significa dormir excessivamente e, em geral, acordar ainda com sensação de sono pouco reparador.

 

Os transtornos do sono podem ocorrer como parte de ansiedade e depressão, embora seja importante lembrar que podem surgir sem que a ansiedade ou a depressão estejam presentes.

 

Aqui estão algumas dicas para melhorar os seus hábitos de sono e a sua “higiene do sono”.

 

 

Dicas básicas para uma melhor noite de sono

 

• Mantenha um horário de sono regular. Dormir e acordar aproximadamente na mesma hora ajudará a programar o seu corpo para dormir melhor.

 

• Prepare um ambiente acolhedor e tranquilo. O seu quarto deve ser um local apenas de descanso, a temperatura deve ser amena e deve ser o mais sossegado e escuro possível.

 

• Certifique-se de que a sua cama seja confortável, não muito mole, dura, pequena ou em más condições.

 

• Pratique mais exercício. Exercício regular de moderada intensidade, como nadar ou caminhar, pode ajudar a aliviar o estresse e a tensão acumulada. Evite deixar o exercício para o fim do dia, uma vez que isso poderá interferir na qualidade do sono.

 

• Evite estimulantes como cafeína ou chá – especialmente a partir do fim da tarde. Eles podem interferir na capacidade para adormecer ou manter a qualidade do sono. Tome uma bebida com leite quente ou um chá à base de ervas.

 

• Não coma demais. Excesso de comida ou álcool, especialmente à noite, imediatamente antes de ir para a cama, pode interferir no padrão do sono. O álcool pode ajudar a adormecer numa fase inicial, mas irá interromper o seu sono mais tarde, quando já estiver dormindo.

 

• Não fume. Sim, também não faz bem para o sono: os fumantes demoram mais tempo para dormir, acordam com mais frequência e têm mais interrupções do sono.

 

• Tente relaxar antes de se deitar... Experimente um banho relaxante, uma música calma, yoga – todos eles ajudam a relaxar o corpo e a mente.

 

• Lide com as suas preocupações e carga de trabalho fazendo listas de tarefas para o dia seguinte.

 

• Se não conseguir dormir, não fique deitado refletindo sobre as suas preocupações. Levante-se e faça alguma atividade relaxante até voltar a se sentir com sono – nesse momento volte para a cama.

 

 

Insônia – estar preocupado com o momento em que vai dormir

 

 

Uma das causas mais comuns de insônia é o desenvolvimento de ansiedade relacionada ao sono.

 

Frequentemente, apesar de se sentirem cansadas, as pessoas ficam extremamente preocupadas com a eventualidade de não conseguirem adormecer no exato momento em que se deitam.

 

Dormir deve ser um processo automático. Se começar a pensar muito sobre isso, algo não está bem. Então isso não é muito diferente do que se passa nos demais Transtornos funcionais.

 

Aprender a desfazer esse processo pode ser difícil, mas entender o que está acontecendo é o primeiro passo.

 

Recomendamos esta abordagem do professor Colin Espie, que escreveu um artigo para o jornal the Guardian.

 

Livro de auto-ajuda neste link.

 

Artigo de YooHealth sobre privação de sono com algumas dicas úteis

 

 

 

http://www.sleepcouncil.org.uk/SleepAdvice/sleep_tips_2.cfm

 

http://www.moodjuice.scot.nhs.uk

 

Self Help for Sleep Problems digital_masthead_620_1